28 fevereiro 2007

Multiculturalismo - O que é?


9 comentários:

Anónimo disse...

Multiculturalismo

O fenómeno do multiculturalismo ou diversidade cultural acontece com pessoas de espaços culturais diversos que são muitas vezes obrigadas a relacionar-se e a conviver entre si.
Devido à imigração é possível numa região a assistência de diversos núcleos culturais e ainda grupos sociais que por diversas razões se sentem marginalizados.
Perante a assistência de diferentes culturas, as pessoas podem assumir atitudes como o etnocentrismo, o relativismo cultural e o interculturalismo.
O etnocentrismo inclui as pessoas que observam as outras culturas em função da sua própria cultura. Os etnocentristas para preservarem os traços da sua cultura assumem posturas negativas como a xenofobia, o racismo e chauvinismo.
O relativismo cultural incluiu as pessoas que perspectivam as outras culturas a partir dos valores por que se regem. Os relativistas sofrem algumas consequências como o racismo, o isolamento e a estagnação.
O interculturalismo é um movimento que respeita as outras culturas. O interculturalismo promove objectivos como compreender a natureza pluralista, promover o diálogo entre culturas, compreender a complexidade e riqueza da relação entre as diferentes culturas e colaborar na busca de respostas aos problemas mundiais.
Como não se pode dizer que uma cultura atingiu o seu total desenvolvimento, o meio de possibilitar o enriquecimento mútuo de todas elas é o diálogo. O interculturismo faz com que se aprenda a conviver no mundo pluralista e que se respeite e defenda toda a humanidade.

-João Tiago Maia Sousa
-Ricardo Manuel dos Santos Coutinho Barreiro
-10º D

Anónimo disse...

Multiculturalismo
O multiculturalismo ou diversidade de cultural acontece quando pessoas de espaços culturais diversos são obrigadas a relacionar-se e a ter de conviver. Isto, despertou a curiosidade de inúmeros investigadores, entre eles, uns preocupam-se com a análise das diferenças culturais entre povos que habitam regiões distintas do globo, outros, dedicam-se a analisar o facto de, no mesmo espaço social, pessoas com culturas diferentes terem de lidar umas com as outras.
O multiculturalismo acontece devido à imigração, o que leva à formação de diferentes grupos sociais, que podem vir a ser marginalizados pela população do país, o que os pode levar a isolar-se, e pode dar origem ao racismo ou outras formas de recusa.
O multiculturalismo, ou seja, a existência de seres humanos com normas e hábitos culturais diferentes no mesmo espaço pode levar as pessoas a assumirem atitudes e condutas muito variadas, nomeadamente o etnocentrismo, relativismo cultural e interculturalismo.
No etnocentrismo incluem-se nas pessoas que observam as outras culturas em função da sua própria cultura, tomando-a como padrão para valorar e hierarquizar as restantes, ou seja, consideram a sua cultura superior à dos outros querendo impô-la a todas as que não a seguem. Desta atitude podem resultar duas consequências: incompreensão em relação aos aspectos das outras culturas, pois o etnocentrista é incapaz de aceitar os que não adoptam modos de vida semelhantes aos seus; aumento da coesão dos elementos do grupo e do sentimento de superioridade da coesão dos elementos do grupo e do sentimento de superioridade em relação aos elementos das culturas com que têm de coexistir.
Segundo este padrão, e para preservar a sua cultura, o etnocentrista pode assumir posturas negativas, entre as quais, a xenofobia, ou seja, ódio em relação aos estrangeiros; o racismo, isto é, repúdio violento de determinados grupos étnicos; o chauvinismo, que quer dizer, patriotismo fanático.
Os defensores do relativismo cultural perspectivam as outras culturas a partir dos valores por que se regem, tal como os etnocentristas, mas afastam-se destes pois recomendam a tolerância face às diferentes expressões culturais. Isto é, os defensores do relativismo, consideram que todas as culturas são boas e é preciso preservá-las, devendo viver cada um na sua cultura e com os seus próprios valores, evitando qualquer hipótese de diálogo ou contacto, sendo um grupo que prime pela coexistência. Esta tolerância, sendo aparentemente uma atitude positiva, manifesta alguns aspectos negativos: encerra a ideia de que cada cultura deve promover os seus próprios valores ficando fechada em si própria; criam dificuldades ao diálogo entre culturas.
Assim os relativistas tentam preservar a sua própria cultura e a melhor forma consiste em não se misturar com outras culturas; isolamento, já que, promove a separação entre culturas, não manifestando interesse em estabelecer contacto com povos diferentes; estagnação, já que consideram que o importante é manter as tradições, mas a cultura é algo de vivo que se deve adaptar a novas circunstâncias, para isso, os contactos entre culturas são altamente enriquecedoras.
Já interculturalismo tem como ponto de partida o respeito pelas outras culturas, defendendo o encontro, em pé de igualdade, entre todas elas. Isto é todas as culturas são boas, mas podem enriquecer-se mutuamente se se promover em fecundo diálogo intercultural, assim o interculturalismo prime pelo diálogo.
O interculturalismo propõe-se a promover os seguintes objectivos: compreender a natureza pluralista da nossa sociedade e do nosso mundo; promover o diálogo entre as culturas; compreender a complexidade e riqueza da relação entre as diferentes culturas; colaborar na busca de respostas aos problemas mundiais.
Considerando-se que nenhuma cultura tenha atingido o seu total desenvolvimento, o diálogo entre culturas é o meio de possibilitar o enriquecimento mútuo de todas elas. O dialogo entre culturas corresponde a uma exigência do nosso tempo, já que á uma necessidade de dar respostas comuns a desafios que se colocam a toda a humanidade. Para tal é necessário ter um conjunto de valores morais partilhados, tais como: salvaguarda dos direitos humanos; apreço pela liberdade, igualdade e solidariedade; respeito pelas diferenças culturais; promoção de uma atitude dialogante; implementação de uma tolerância activa.
Ângela Sousa nº 5262
Eduarda Vilaça nº5

Anónimo disse...

Multiculturalismo

Introduz-se o conceito de multiculturalismo ou diversidade cultural para designar o que acontece a pessoas de espaços culturais diversos sendo muitas vezes obrigadas a relacionar-se e a ter de conviver, vindo este fenómeno a merecer a atenção de números investigadores. Estes preocupam-se com a descrição e análise das diferenças culturais entre povos que habitam regiões distintas do globo, e também analisam, num mesmo espaço social, pessoas com culturas diferentes e o seu relacionamento.
À parte dos relacionamentos por razões preconceituosas por vezes os idosos, os homossexuais, os deficientes entre outros são marginalizados.
As pessoas em alturas assumem atitudes e condutas variáveis, podendo destacar o etnocentrismo, relativismo cultural e interculturalismo. Pessoas que observam as outras culturas em função da sua própria cultura, incluindo-se esta no etnocentrismo e tendo como consequências a incompreensão em relação aos elementos das culturas com que têm de coexistir. Existe um ódio em relação aos estrangeiros, predominado por xenofobia; nacionalismo exagerado também designado por chauvinismo e atitudes violentas de determinados grupos étnicos, atitude conhecida por racismo. Concluindo estas três posturas anteriormente mencionadas são consideradas negativas. Relativismo cultural é uma atitude de avaliação das outras culturas em função da cultura de quem avalia; cultura mais aberta na qual podem viver culturas diferentes num só sitio mas só um segue os seus valores. Os aspectos negativos são o racismo, o isolamento e a estagnação. Esta cultura tem o racismo em comum com o etnocentrismo.
Ponto de partida o interculturalismo é o respeito por outras culturas, defendendo o encontro, em pé de igualdade entre todas elas os objectivos do interculturalismo são compreender a natureza pluralista da nossa sociedade e do nosso mundo, compreender a complexidade a e riqueza do relacionamento entre culturas; colaborar na procura de soluções para os grandes problemas da humanidade. Concluindo podemos afirmar que hoje é um mundo multicultural.

Trabalho realizado por: Adriana e Liliana, 10º D

Anónimo disse...

O Multiculturalismo

Actualmente o mundo já muito se diferencia de outros tempos quer seja a idade média ou a pré-história. Hoje como nunca antes se verificou, o mundo apresenta-se numa vasta quantidade de culturas diferentes, mas que caminham juntas sustentadas pelo diálogo, com base na aceitação e experiência cultural.
O mundo de agora, que se encontra muito aquém da perfeição, caminha continuamente no sentido de criar laços mais fortes entre as mais variadas e intrigantes culturas que ao longo do tempo se desenvolveram por todo o mundo. Neste contexto, o ONU (Organização das Nações Unidas) acaba por se tornar o expoente máximo desta sociedade Interculturalista visto que através da palavra impele à paz e aceitação entre os povos e à troca de conhecimentos para que a Terra perca o carácter relativista latente, deixando de ser um globo com um conjunto de pontos representantes de cada cultura, mas sim uma verdadeira Aldeia Global.
De facto a perfeição no seu grosso modo nunca será atingível, sendo uma utopia, todavia se cada um de nós colaborar, fazendo a parte que lhe compete, o mundo será cada vez mais belo e aí sentimentos como racismo, xenofobia ou mesmo terrorismo serão apenas lembrança más de um passado distante.
Tu, cidadão não de Portugal, mas do mundo, trabalha para um mundo melhor!

Anónimo disse...

O Multiculturalismo



De certa forma as pessoas de diferentes culturas, tem a necessidade de se relacionar e conviver entre si; dá-se a este fenómeno o nome de multiculturalismo ou diversidade cultural. Contudo, apesar destas relações existem grupos sociais que são marginalizados e discriminados como é o caso de negros, idosos e homossexuais.
Face a este multiculturalismo existem atitudes e condutas diferentes: o etnocentrismo, o relativismo cultural e o interculturalismo. No etnocentrismo assistimos a uma avaliação de outra cultura segundo as nossas ideias, educação, padrões culturais, ou seja a nossa cultura é sempre superior, rejeitando os padrões culturais das outras culturas, considerando-os estranhos, esquisitos. Um exemplo de posturas negativas do etnocentirmo são o racismo, a xenofobia e o chauvinismo.
Já no relativismo cultural assume-se um papel mais liberal, tolerante e positivo no sentido que já respeita as outras culturas, mas encerra a ideia de que cada cultura deve promover os seus próprios valores, ficando fechada em si própria. Existe dificuldade no diálogo entre culturas. Os exemplos no sentido negativo são: o racismo, a estagnação e o isolamento.
O Interculturalismo promove o respeito pelas outras culturas, propondo formas de diálogo entre elas , no sentido de todas beneficiarem e se enriquecerem mutuamente.
Assim o interculturalismo incentiva a ideia que os problemas sociais, políticos, económicos e ecológicos só serão resolvidos se solucionados à escala mundial.

João Pedro Costa
João Carlos Cruz, 10º D

Soraia_bebe disse...

Ola,boa tarde,eu estou a fazer um trabalho precisava muito de saber Quais as consequências do Relativismo Cultural e as consequências do Interculturalismo. Agradecia ser respondida rapidamente. Obrigada!

Anónimo disse...

ola bom dia!! nos estamos a fazer um trabalho e gostariamos de saber mais sobre diversidade e cultura. poderao ajudar.nos?? respondam rapidamente se faz favor..

Obrigada =)

Neuza disse...

Multiculturalismo é um tema que abarca múltiplas culturas e actualmente o nosso mundo é multicultural, logo a curiosidade em saber o que nos rodeia é óbvia.
Para mim pessoalmente o tema me envolve devido ao facto de ser natal de um país (angola) e estar inserida noutra, a europeia.

Neuza disse...

Multiculturalismo é um tema que abarca múltiplas culturas e actualmente o nosso mundo é multicultural, logo a curiosidade em saber o que nos rodeia é óbvia.
Para mim pessoalmente o tema me envolve devido ao facto de ser natal de um país (angola) e estar inserida noutra, a europeia.